Interface Homem-Máquina: Melhores Práticas de Usabilidade

Finalmente, entreguei o TCC com as correções finais!

Na verdade já faz um tempinho (quase um mês), e estava quase me esquecendo de disponibilizar para vocês caros leitores do QualidadeBR. O link para download, segue abaixo:

http://bit.ly/tcc-usabilidade

No começo da monografia, trocamos várias vezes de tema, para ter uma idéia, a nossa primeira escolha foi Sistemas em Tempo Real, depois cogitamos mudar para Interfaces (que iria envolver até realidade aumentada) e “decidimos” por fim fazer sobre Virtualização.

Após já está pesquisando sobre Virtualização, a minha dupla, o Jayson, me perguntou mais ou menos assim:

– Fabrício, o que você acha de fazer sobre usabilidade?

– hmmm…usabilidade, será que isso rende uma monografia? Acho que o assunto é meio limitado…

A partir daí, buscamos obter mais informações sobre usabilidade, perguntando para vários professores nossos, e até com outros de fora, como o Samuka Ribeiro, que dá aula sobre Interface Homem-Máquina, e que ajudou com um rico material sobre o assunto.

Acabamos percebendo que usabilidade podia sim, render uma boa monografia. E a partir daí, pude perceber que, a usabilidade não se resume a ser apenas uma característica de Qualidade de Software, e que há vários estudos e aspectos que devem ser levados em conta, durante o desenvolvimento de software.

Para mim, um dos maiores estímulos para escolher esse tema, foi o fato de muitas pessoas, boa parte formada de desenvolvedores e profissionais de TI, acharem que a interface de um software é um mero detalhe, aliás eu até falei sobre a importância da usabilidade nesse post.

Eu até entendo, que para nós profissionais de TI, a interface é algo que não tem tanta importância, afinal de contas, estamos acostumados a usar até prompts de comando e terminais. Mas pense bem, a maioria dos usuários de computadores não é formada por profissionais de TI. E fique sabendo, que até na época em que a interface de texto era predominante, já haviam pessoas preocupadas com a usabilidade dos sistemas.

Mais uma revelação, se prepare, essa pode até te surpreender. Por que você acha que os usuários ligam tanto para o suporte da sua empresa, muitas vezes com dúvidas que nem são sobre o seu sistema?

  1. Porque eles são usuários
  2. Porque eles são pessoas carentes e gostam de ouvir uma voz amiga
  3. Porque o sistema, realmente não está funcionando
  4. Porque eles estão perdidos e nem saber como interagir com o seu sistema
  5. Pode ser qualquer resposta citada acima

E a resposta correta é a 5 (hehe), pois depende da circunstância. Mas a alternativa 4 é uma que acontece bastante, devido a falta de usabilidade, que necessita ser uma das características de Qualidade de Software prioritárias. Principalmente se o sistema a ser desenvolvido tiver como público alvo, os usuários comuns. Afinal de contas, até nós profissionais de TI, às vezes, nos deparamos com uma interface ruim e ficamos perdidos.

Fique por dentro das novidades, assine o feed do QualidadeBR.
Assine o feed

P.S.: Quem se interessar pelo assunto, e for dá uma olhada na monografia, fique  à vontade para comentar sobre ela.

Anúncios

Apresentação TCC

Na semana passada, para ser mais exato, na sexta-feira dia 12 do 12 (que coisa, hein), fiz a minha apresentação da defesa de trabalho de conclusão de curso.

Na apresentação, para variar, fiquei “hiper” nervoso, mas segundo o pessoal que estava presente, foi legal a apresentação. A parte que eu gostei, foi a das perguntas. Todo mundo se preocupa muito nessa hora, mas eu estava tranquilo, afinal acredito que ninguém sabia mais do assunto do que eu e o Jayson, minha dupla de TCC. E nós gostamos bastante do assunto, então seria até legal confrontar opiniões com o pessoal da banca.

As perguntas foram bem legais, gerou bastante discussão. Duas delas eu achei bem interessante, uma foi sobre a usabilidade nos celulares e a outra sobre o impacto no hardware, causado por uma boa usabilidade.

Na primeira, a discussão gerada foi em torno da usabilidade do celular, que está num passo a frente da existente nos computadores. Fato que é justificado, devido ao número de usuários de celulares que é muito maior e mais diversificado que os de computador, logo, a preocupação com a usabilidade, se torna mais inerente no desenvolvimento dos softwares para celular.

A segunda questão tocou no assunto entre usabilidade versus desempenho. Muitos sistemas com uma usabilidade melhor, acabam sendo mais pesados e exigindo mais do hardware, exemplo o Pacote Office 2007, que mesmo tendo uma melhor usabilidade do que a versão 2003, ainda não emplacou. Ou seja, de nada vale uma interface mais usual, se ela não consegue ser processada pelo hardware. Mas, para ter uma interface com boa usabilidade não é preciso oferecer um design mais pesado, muitas vezes, a simplicidade resolve boa parte dos problemas de usabilidade, como exemplo temos o navegador do Google, o Chrome, e a distribuição Linux Linpus.

Quem quiser conferir a apresentação, ela está sendo disponibilizada no link abaixo, caso alguém tenha alguma dúvida, sugestão ou crítica, sinta-se à vontade em colocar nos comentários.

Download da apresentação

Para encerrar esse post, tenho alguns agradecimentos a fazer (hehehe), de pessoas que ajudaram no desenvolvimento desse trabalho:

– Ao Jayson, minha dupla de TCC, que sempre esteve preocupado com a qualidade do trabalho e mostrou grande dedicação, mesmo nos momentos difíceis.

– Ao André Pantalião, que é uma das pessoas que eu tenho um prazer enorme de trabalhar, e que me emprestou vários materiais sobre usabilidade e deu boas idéias para o trabalho.

– Ao Prof. Ms. Flávio Viotti, que mesmo com as dificuldades que tivemos, ainda estava sempre nos cobrando e se preocupando com o andamento do TCC.

– Por fim, a todos os alunos de ADS6, pelas risadas, conhecimentos, emoções e brigas, vividas nesses três anos, que com certeza ficarão na memória e no coração para toda a vida.

Fique por dentro das novidades, assine o feed do QualidadeBR.
Assine o feed

A Importância da Usabilidade

Pessoal, estou realizando o meu TCC sobre Interface Homem-Máquina (IHC), cujo foco principal é a usabilidade. Um dos motivos de ter escolhido esse tema foi há falta de preocupação das empresas e dos profissionais de TI com a usabilidade.

Um exemplo dessa despreocupação ocorre na própria faculdade, cujos trabalhos que envolvem o desenvolvimento de sistemas, muitas vezes não são avaliados tendo em vista a usabilidade do sistema e o que importa mesmo é a lógica e a utilização de conceitos aprendidos em sala de aula. Logicamente, que esses quesitos são de suma importância, principalmente em uma faculdade, porém e a usabilidade? Ela não deveria ter uma importância, ou vamos continuar com o pensamento arcaico que usabilidade é “perfumaria”?

Introdução

Há duas definições principais para usabilidade:

É a extensão na qual um produto pode ser usado por usuários específicos para alcançar objetivos específicos com efetividade, eficiência e satisfação em um contexto de uso específico. (ISO 9241-11)

Usabilidade está  relacionada ao  aprendizado,  eficiência, na  realização da  tarefa  de memorização,  minimização de erros  e  satisfação  subjetiva  do usuário. (Nielsen, J.)

A primeira definição é a mais formal feita pela International Organization for Standardization (ISO), já a segunda é feita pelo especialista em usabilidade Jakob Nielsen. Ambas tem o usuário como base, ou seja, a usabilidade está intrinsecamente ligada ao usuário, portanto todo esforço da usabilidade tem como objetivo tornar a aplicação mais usual e fazer com que o usuário tenha prazer na sua utilização.

A importância da usabilidade

Para explicar a importância da usabilidade, vamos usar o exemplo da evolução do celular: no início do milênio a maioria dos celulares, para não falar todos, tinham a navegação puramente textual e basicamente serviram para mandar mensagens, fazer/receber ligações, agenda e ainda continham alguns joguinhos. Você conseguia fazer uso dessas funcionalidades sem nenhuma dificuldade por meio dessa interface textual. Mas imagine hoje, se os novos celulares, ainda fizessem uso da interface por texto, seria impraticável fazer uso das dezenas de funcionalidades existentes nos celulares atuais, por isso a interface também teve que evoluir e hoje observamos um padrão, que basicamente é o de uso de ícones e menus.

O celular, assim como a internet, são as duas tecnologias que mais tem sofrido evoluções, quanto a usabilidade. E a razão para isso é simples, um grande número de pessoas fazem uso delas, portanto as interfaces tem que serem projetadas, tendo em mente que pessoas com diferentes graus de instruções terão que ser capazes de usar tais tecnologias.

Logo percebemos a importância da usabilidade, que é de fornecer uma interface o mais próxima do usuário e por meio dela que as barreiras entre o software e o usuário vão diminuindo.

Outro aspecto interessante, é que a usabilidade pode ser o fator decisivo pela adoção/compra de um produto. Um exemplo disso ocorreu na empresa que trabalho. Estávamos em busca de uma ferramenta de gerenciamento de testes, ficando entre dois softwares o Bugzilla e o JTester Manager (ferramenta desenvolvida pela própria empresa), o Bugzilla ganhava em número de funcionalidades, porém tinha um grande problema, a usabilidade: fluxo não era linear, continha muitos campos em uma mesma tela, etc. Enquanto o JTester Manager continha as funcionalidades essenciais e uma ótima usabilidade, devido principalmente a sua simplicidade. A decisão então foi fazer uso do JTester Manager, pois percebemos que a produtividade com o JTester Manager seria bem maior do que com o Bugzilla.

Conclusão

A usabilidade deve ser encarada com seriedade e ser focada no usuário, afinal será ele que fará o uso do software. E caso não começarmos a nos preocupar com a usabilidade, os usuários dos nossos sistema podem ter um acesso de fúria, assim como esse senhor teve no vídeo abaixo:

Aliás, quantas vezes você mesmo(a) já não se irritou por não ter conseguido realizar alguma tarefa, devido a falta de usabilidade do software?

Fique por dentro das novidades, assine o feed do QualidadeBR.

Fonte:

Nielsen, J. (1993), Usability Engineering. Academic Press, Inc., San Diego.