Certificações de Teste de Software, por que ter uma?

Lá vou eu novamente falar sobre certificações, sinceramente, esse é um assunto que eu já estou cansado de comentar e ouvir falar.

Mas um post do James Bach me colocou na parede, por assim dizer. Pois eu obtive a CTFL e recomendo as pessoas prestarem, e um dos meus planos futuro é tirar a CTAL.

Porém, após a leitura do post do James Bach eu fiquei meio surpreso, mesmo já sendo de esperar tal mentalidade, por assim dizer, do ISTQB. Afinal, as propagandas que vinculam em revistas internacionais, já são bem ao estilo “venha ser da elite do Teste de Software”, o que é claro é BESTEIRA.

Mas o pior não é essa mentalidade elitizada do ISTQB, e sim a mentalidade dos profissionais que buscam uma certificação. Pois, muitos deles vão na onda, e acreditam que tirando a CXYZ irão ser de uma elite de profissionais e/ou serão experts em Teste de Software.

Hoje em dia eu dou risada, ao pensar e constatar que há pessoas pensando desta maneira, pois já fiquei bravo sobre isso, e  é melhor dá risada para não chorar. Afinal, é uma GRANDE ilusão pensar que ao obter o certificado CXYZ você será O cara, principalmente, em se tratando de certificações de nível básico (CBTS-ALATS, CTFL-ISTQB e CAST-QAI), onde você aprende apenas o básico de Teste de Software e está muito, mas MUITO longe do nível de um James Bach da vida.

A verdade é que certificações é um mercado bem lucrativo, e é por isso que há tantas instituições certificadoras, todos estão tentando tirar uma lasquinha do seu bolso, seja com os próprios gastos com o exame, ou com treinamentos. Mas se formos pensar bem, até a educação acabou virando um grande negócio, quantas UNIs estão aí vendendo canudos, com salas com quase 100 alunos e inaugurando novas unidades a rodo. Enquanto isso, quantas unidades Harvard tem? Uma, afinal o foco não é quantidade e lucro, e sim qualidade e formação de pessoas.

Nesta altura do post, você deve está achando que eu sou contra certificações, mas na verdade não sou não, e ainda está nos meus planos tirar a CTAL (aliás, o primeiro exame no Brasil deve ser esse ano e o Syllabus já foi traduzido). E dois são os motivos pelos quais eu investi meu tempo e dinheiro com a CBTS e CTFL e encorajo as pessoas a investirem também:

  • Conhecimento: ao se preparar para uma certificação acabamos obtendo muito conhecimento, principalmente quando estamos iniciando a nossa carreira. E hoje ainda é difícil a gente ver matérias dedicadas a Teste de Software na faculdade, e esse é um dos motivos pelo sucesso das instituições certificadoras no Brasil e porque tantas pessoas buscam obter certificações de nível básico;
  • Mercado brasileiro: é cada vez mais frequente você ver uma empresa exigindo ou colocando como desejável o profissional ter um certificado. E para os cargos de nível junior uma certificação pode ser um bom diferencial, pois mostra que aquele profissional teve dedicação e interesse em obter maiores conhecimentos sobre a área de atuação. Agora para os cargos de pleno e sênior uma certificação costuma ser uma exigência, mas já não representa um diferencial tão bom, pois o mais importante são as experiências, aliás, sempre as experiências são/deveriam ser o mais importante.

Em resumo ainda sou a favor das certificações, pois podemos aprender bastante durante os estudos e elas são uma requisição frequente do mercado brasileiro (que no geral, valoriza as certificações), ou seja, às vezes gostando ou não, precisamos dançar conforme a música.

Mas em relação a CTAL e a CSTE (também estou pensando nela), o motivo principal é o desafio, principalmente em relação a CSTE, que muitos profissionais que prestaram, consideraram bem difícil o processo de qualificação. Não é tanto pelo conhecimento, embora eu deva aprender algo novo durante a preparação, pois vocês já devem ter percebido que eu acompanho vários blogs sobre Teste de Software e aprendo muito com eles, além disso, muitos conhecimentos que realmente são importantes para mim atualmente, não são abordados em exame de Teste de Software, como por exemplo Teste Ágil.

Ou seja, provavelmente ainda irei dedicar um tempo e abastecer o bolso cheio das instituições certificadoras, mas não motivado para participar de uma elite ou coisa do tipo, e sim para obter conhecimentos e a título de desafio.

Mas hoje, com os conhecimentos básicos aprendidos com a CBTS e CTFL, sei me virar sozinho na obtenção e filtragem de informações de Teste de Software, e acabei descobrindo que há conhecimentos muito mais atuais e pertinentes para mim, em blogs, sites e livros do que em materiais de preparação para certificação.😉

Essa é minha opinião e esses são os meus motivos pelos quais ainda acho válido buscar certificações de Teste de Software.

Por fim, gostaria de frisar que você caro(a) leitor(a) deve buscar a sua opinião sobre certificações, e reconhecer que não há uma verdade absoluta sobre o assunto, pois até as certificações dependem do contexto, vide o mundo de programação, onde as certificações são bem vistas e reconhecidas por boa parte dos desenvolvedores Java, já os desenvolvedores Ruby ignoram as certificações de Ruby.

Tenha os motivos e use as motivações certas ao se preparar para uma certificação. Lembrando-se que a preparação para ela é apenas uma das várias maneiras de se obter conhecimento na área de Teste de Software, e o conhecimento só tem valor quando colocado em prática e/ou compartilhado.😉

Fique por dentro das novidades, assine o feed do QualidadeBR.

7 comentários sobre “Certificações de Teste de Software, por que ter uma?

  1. Pingback: Tweets that mention Certificações de Teste de Software, por que ter uma? « QualidadeBR -- Topsy.com

  2. Se você chama o investimento em uma certificação de “gastar dinheiro” talvez não seja tão a favor assim.🙂

    Discordo muito do seu primeiro ponto para defender a certificação. Se você já não tem o conhecimento antes de fazer a certificação, significa que vai ser só decorado para a prova e depois esquecido e nunca mais utilizado.

    Abraço!

    Responder
    • Olá Guillermo,

      O “gastar” foi mais o verbo que veio a cabeça ao escrever o post. Não vejo como um gasto, e sim como um investimento. Vou até corrigir.🙂

      Entendi o seu ponto, mas fiquei curioso, qual é a(s) sua(s) motivação(ões) ao se preparar para uma certificação?

      Pode significar “decoreba” se você fizer a preparação só visando o certificado. Na minha opinião e eu fiz isso nas três vezes que prestei um exame de certificação: você não deve focar em decorar e sim em entender e formar a sua opinião/refletir sobre o conteúdo aprendido. Decorar não é aprender, e vale muito mais reprovar num exame que você realmente aprendeu algo, do que tirar 100% em um exame que você decorou e irá esquecer tudo, assim que finalizar o exame.

      O conhecimento sem dúvidas é sim um motivador para estudar para certificações, e digo isso não só para as certificações de Teste de Software, mas também para outras. Como disse no post, a preparação para uma certificação é uma das várias formas de aprender algo, e em alguns casos e para algumas pessoas, ela pode ser a melhor, principalmente, quando você está começando a aprender sobre a área. Não é a toa que há várias certificações de nível básico, tanto em Teste de Software, Java, Oracle, etc.

      E outra ponto sobre a preparação, ela é a fase mais importante, e por isso acredito que é válido você usar os materiais de certificações para obter conhecimentos, mesmo não prestando depois o exame, pois geralmente, ele são bons guias para iniciantes e possuem uma boa didática.

      Como disse essa é minha opinião, portanto discordâncias e outras opiniões são bem-vindas.😉

      Obrigado pelo comentário Guillermo!😀

  3. Muito bom o post, concordo.
    Quanto ao “decorar”, eu discordo. Vamos por partes:
    – Primeiro, qual o objetivo que alguém tem em tirar uma certificação de testes de software se não vai trabalhar com isso?
    – Segundo, depende de pessoa para pessoa em como vai aplicar o que aprendeu numa certificação, blog, livro, artigo ou o que for, no seu dia a dia
    – Terceiro, mesmo que decore para passar na prova e trabalhar com testes todos os dias, vai absorver algo e involuntariamente aplicando na prática.
    Na minha opinião, certificação é uma forma visível de mostrar pro mercado que o profissional busca atualização. Já vi pessoas que trabalharam 5 anos com uma linguagem de programação e não foram capazes de passar numa prova de certificação, simplesmente pelo fato de terem se adaptado ao framework interno da empresa e da forma de trabalho da mesma. Isso é outra coisa que não tem nexo.
    Certificação, por mais fácil que seja passar, é uma forma de nivelar o conhecimento de quem faz. Do mesmo jeito que já vi gente aí com dez anos de experiência em testes que só sabe fazer testes manuais, mais nada (nem criar um caso de teste aceitável…)
    Mas como o Fabrício disse, depende de opinião para opinião, eu acho BEM válido as certificações e aprendi bastante com as que tirei, e tiro o chapéu para quem tirou outras mais complexas e que demandaram mais tempo de estudo.

    Abraços,
    Luiz Gustavo Schroeder Vieira, FCE, CTAL-TA
    Consultor de Testes
    BSTQB TAG Member
    +55 (48) 9994-3569
    Skype: luizgsvieira
    luizgustavo@lugati.com.br
    http://testavo.blogspot.com
    http://www.lugati.com.br

    Responder
  4. Estou me preparando para a certificação PMP, em Gerenciamento de Projetos. Lendo os livros da Rita a mesma já deixa bem claro que muitas das coisas que o PMI prega pode não ser o visto no dia a dia das corporações brasileiras, por exemplo. A certificação PMP também exige um tempo mínimo de expiriência na área, o que eu considerei interessante.
    Acredito que o objetivo realmente seja o comentado pelo Luiz Gustavo: realizar uma espécie de nivelamento entre os profissionais.
    Parabéns pelo post!
    Forte Abraço.

    Renato Borges
    http://www.qualidademanaus.sopixel.com.br

    Responder
  5. Muito bom, estou me preparando p certificações, ate iria prestar uma recetemente, mas apos le uns e outros post.. acabei optando por me preparar mais.

    Acredito que certificações são importantes, mas lógico nao vai definir o tipo de profissonal, ou o seu conhecimento.

    Mas o importante e estar sempre buscando o conhecimento….
    ^^

    Responder
  6. Pingback: Meus pensamentos sobre pós-graduação « QualidadeBR

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s