Paixão ou dinheiro?

Caros leitores,

O pessoal que me conhece, sabe que uma das minhas paixões é a Formula 1 e como muitas devem ter ficado sabendo,  a equipe Honda deixou a categoria. Mas não será sobre a F1 que irei comentar nesse post e sim sobre algo que me preocupa: o prazer em fazer o que gosta. E aproveito para lhes fazer uma pergunta: Por que você trabalha?

Logicamente, que uma das primeiras respostas será para garantir o meu sustento e de minha família (aliás, essa seria minha resposta também), porém uma vez eu li em algum lugar (não me lembro onde), que o ser humano ao invés de viver está sobrevivendo. Para mim,  a diferença está na obrigação, quando fazemos algo por obrigação ou algo que não seja da nossa natureza estamos sobrevivendo. Já quando fazemos algo com amor e nos divertindo, aí sim estamos vivendo.

Bem, vou tentar “linkar” melhor essa história da F1, apresentada no início do post, com o nosso mundo (TI). Vejo muitos colegas meus buscando $$$ e mais $$$, é uma busca sem fim, pois quanto mais temos mais queremos ter. E vejo poucos buscando o prazer, afinal você irá passar mais de 86.400 horas (8 horas X 20 dias X 12 meses X 45 anos) da sua vida trabalhando, isso sem contar as horas extras, que é algo muito freqüente na nossa área.

Na F1 o cenário atual não é muito diferente, os chefões das equipes que antes eram os apaixonados por velocidade e pela F1, agora são os “manda-chuvas” de grandes corporações que estão mais preocupados com o lucro e aumento do marketing que conseguirão com a F1. E a maior diferença é o fato de quando as coisas vão mal eles são os primeiros a pularem fora do navio,  enquanto os apaixonados lutam até o fim para tentar manter a categoria, pois há certas coisas que só apaixonados conseguem fazer.

Esse é um dos motivos pelo qual diversos sistemas falham e muitos projetos não terminam. As pessoas não estão comprometidas e sim apenas envolvidas (a velha história do porco e da galinha). E a razão da falta de comprometimento muitas vezes é ausência da paixão, pois você não será comprometido com algo que você não gosta. Por isso, volto a frisar, que devemos sempre buscar fazer o que a gente gosta, pois me lembro muito bem, de uma palestra que assisti sobre a área de Jornalismo,  quando tinha uns 15 anos, onde uma jornalista, disse: “Se você for bom, com certeza você ganhará bem.”.

Para encerrar esse post, aqui fica uma dica, de alguém que ainda não encontrou a mina de ouro, mas que já descobriu a sua estrada: Siga os seus princípios, quando encontrar um atalho, siga o seu coração ao se deparar com uma bifurcação e siga a sua inteligência ao se deparar com os obstáculos.

Nota: Como vocês perceberam, estou tentando trazer assuntos diferentes e não apenas sobre Testes e Qualidade de Software, pois muitas vezes gosto de compartilhar pensamentos e opiniões, por isso sintam-se à vontade para comentarem. Mas não se preocupem, que o foco do QualidadeBR ainda será Testes e Qualidade de Software, afinal é uma área que eu tenho paixão em trabalhar e estudar. 😀

Fique por dentro das novidades, assine o feed do QualidadeBR.
Subscribe

Anúncios

2 comentários sobre “Paixão ou dinheiro?

  1. Bela explanação Fabrício!! Concordo com as suas palavras e compartilho das mesmas para retratar meus sentimentos em relação ao trabalho, estudo e entusiasmo relacionados a área de Qualidade de Software.

    Continue levantando estes pontos de discussão pois são muito interessantes para o conhecimento geral.

    Até uma próxima!

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s