Ambientes de Teste Virtuais

Uma das fases do processo de teste é a preparação, cujo principal objetivo é a montagem do ambiente de teste. O que necessita muitas vezes de novos investimentos em infra-estrutura. Neste momento, a Virtualização aparece como uma boa alternativa para a criação de ambientes de testes virtuais.

A Virtualização é uma das tecnologias que mais se tem falado nos últimos anos. Se caracteriza pela capacidade de executar vários sistemas operacionais em um único hardware, fazendo  uso  de máquinas virtuais.

Uma máquina virtual (Virtual Machine – VM) pode ser definida como uma duplicata eficiente e isolada de uma máquina real (Popek and Goldberg).

E todo o barulho que se faz em torno da Virtualização tem um motivo, os seus benefícios:

  • Otimização do hardware: para se ter uma idéia, muitos Data Centers estãorodando apenas 10% ou 15% da sua capacidade de processamento. Em outras palavras, 85% ou 90% do poder da máquina não está sendo usado [1].
  • Economia de energia e espaço físico: um bom exemplo é a IBM que recentemente divulgou que trocará 4 mil servidores de pequeno porte por 30 mainframes Linux, rodando máquinas virtuais. Ou seja, o espaço físico necessário será bem menor, portanto o gasto com a refrigeração e com o próprio consumo de energia resultará em uma melhor eficiência energética.
  • Facilidade de administração: com a redução no número de máquinas físicas a administração delas será facilitada, afinal é muito mais fácil administrar 30 mainframes do que 4 mil servidores.

Como podemos perceber, a virtualização do ambiente de teste é uma alternetiva interessante, principalmente em projetos de curto prazo, devido a facilidade de montagem e desmontagem de ambientes virtuais. E as ferramentas de Virtualização existentes atualmente no mercado, criam arquivos de imagem das máquinas virtuais, então caso uma aplicação tenha que ser retestada, a montagem do ambiente de teste será muito mais fácil e ágil, já que precisamos apenas “subir” a máquina virtual.

A criação de ambientes virtuais só não é recomendada para os testes de desempenho, pois não trará resultados reais, caso a arquitetura do projeto não faça uso de máquinas virtuais.

No próximo artigo, iniciarei um tutorial sobre a construção de uma máquina virtual Linux utilizando o VMware Server. Até lá!

Fique por dentro das novidades, assine o feed do QualidadeBR.

Fonte:

[1] Golden, B; Scheffy, C. Virtualization For Dummies Sun and AMD Special Edition. Indianapolis, Wiley Publishing, 2008.

Anúncios

2 comentários sobre “Ambientes de Teste Virtuais

  1. Pingback: 5º Encontro Mensal da ALATS São Paulo « QualidadeBR

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s